fuji superia 200

Objectos são apenas isso, objectos. Mas para os fotógrafos não é fácil dizer adeus a máquinas fotográficas. Especialmente a uma máquina como esta.

Neste preciso momento tenho um rolo carregado na Contax, mas seus os últimos metros de película estão difíceis de serem expostos à luz do mundo. Assim que o coloquei no compartimento, sabia que era o último que eu iria fazer com esta máquina. Creio ser desta vez que faço a derradeira despedida, visto ser a segunda ou terceira vez que tento retirar da minha lista de ferramentas.

Estou mentalizado e não vou voltar atrás com a ideia de a passar para outra pessoa.
Devido a um conjunto de circunstâncias (de prática fotográfica) neste momento estou a registar pouco ou quase nada em película, o que é um factor ajuda a amenizar um pouco mais a despedida.

Tecnicamente é uma máquina irrepreensível, a lente que tem é fantástica, o corpo é resistente e sólido. Não tem muito que saber, ainda que ofereça o controlo de profundidade, foco ou flash, foram parâmetros que poucas ou raras vezes utilizei. Não sei quantos rolos terei feito com esta máquina, entre 10 a 20 talvez. Nem sei se tantos.

Sempre serviu o seu real propósito, e cumpriu com distinção ao que se devia. Das imagens que captei com ela, algumas são realmente muito belas e fazem parte do mundo de imagens que recorrentemente gravita pela minha imaginação. Além de que, ainda disponho de um bom conjunto de rolos que ainda não sentiram o banho dos químicos. Surpresas que serão reveladas num futuro, cuja forma espaço e tempo foram varridas da minha memória.

No entanto por ser considerada como uma das melhores máquinas, senão a melhor do género, sempre a ví como um objecto sensível e frágil. O total oposto daquilo que se sente quando estamos com a máquina na mão, devido à sua construção em titanium. No entanto esse pormenor (bloqueio mental) fez com que não a coloca-se em determinados cenários e nem a leva-se ao extremo. Protegi-a de qualquer eventualidade, sabendo talvez de antemão que dificilmente iria ter acesso a outra nos próximos tempos.

Faz parte de uma época e comigo chegou ao final do percurso. Tendo em conta o seu valor actual, à data em que foi comprada, foi um "negócio da china". E antes que chegue o momento da visita a um mecânico cuja mão de obra pode atingir o mesmo valor do qual eu despendi por ela ou simplesmente encarar a sua morte mecânica, the time is now.

estas fotografias foram registadas entre 2015-2017. não disponho no momento informação de todas as películas que usei para as registar. scans rápidos de baixa resolução e ligeira edição para correcção de WB, contrastes, sombras, exposição e nitidez.

neopan 400cn
kodak ektar 100
kodak ektar 100
fuji superia 200
fuji superia 200

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to Top